sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Brisa da noite

Abraça-me brisa da noite,
aquieta meu sono
e leva-me contigo no passeio dos murmúrios
das folhas a balançar.

Abraça-me brisa
e faze-me esquecer
de tudo em mim
para que inexistente
de qualquer vida que tenha vivido
possa ser outra existência.
Livre de lembranças boas e ruins.
Livre de erros e acertos
Livre de culpas e medos.

Abraça-me brisa da noite
como uma mãe abraça seu bebê.
No seu colo leva-me para sempre,
para longe, bem longe de mim.
Leva-me para longe do que fui e,
do que virei a ser.

Helena Rosali

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

O jeito do tempo

Festejei o tempo
ao notar na face
os primeiros sinais
da existência.

Alegre,
em cada curva uma marca,
doce e dolorida
enfeita os sorrisos
que agradecem a Deus.

Eita, que o tempo chega
e faz de um jeito
que a gente não sente
E desapercebido se mostra
no rosto, nas mãos, nos pés.

Nos pés que, antes andarilhos,
diminuem as pegadas.
Nos ossos que, antes fortes,
fraquejam nos obstáculos.

Eita que esse tempo
é de um jeito
que enfeita de gracejos
as horas de todos os dias.

Helena Rosali