sexta-feira, 30 de maio de 2014

No calor da sombra das árvores


No calor da sombra das árvores
Os sonhos passam tal qual criança
Pela doce infância.

No inverno seco
O fogo das cobranças destroem os dias
Envelhecem a alma.

A chuva morna do verão
Busca um caminho pelas encostas da vida
Mas não existe nada além de uma represa
No fim da estrada.

Onde encontrar forças suficientes
Para exercer pressão sobre a represa
Até que ela venha a se romper?

Um verão se foi, outro verão se vai,
A vida em seu curso segue tranquila,
As pessoas é que morrem

Tentando domá-la.

Helena Rosali

Nenhum comentário:

Postar um comentário